quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Malhando menos, queimando mais


imagem - gandamalhos.files.wordpress.com

No que tange à perda de gordura, menos é mais?

Não estamos falando de preparo físico ou condicionamento cardiovascular. A questão está relacionada apenas à perda de gordura corporal.

Sempre questionei o fato de se colocar pessoas sabidamente sedentárias ou acima do peso para praticar exercícios aeróbicos por 40 minutos ou mais. Não precisariamos abordar de novo o êxodo da academia. Mas nas academias existe um mantra, um senso comum que diz "antes de 40 minutos de exercícios aeróbicos não há queima de gordura". Somente após esse período é que o organismo passaria a queimar goruduras. A comunidade do fitness está correta?

Estudos demonstram que durante o exercício aeróbico a gordura é utilizada e metabolizada de acordo com a intensidade do exercício. Com exercícios leves e de longa duração (acima de 40 minutos e com intensidade leve 25%) utiliza-se 90% de energia proveniente de lipídios disponíveis no corpo. Numa intensidade moderada de 40% a 60%, por um período de 40 minutos o gasto energético será maior, todavia a origem será de glicogênio intramuscular e do estoque proveniente do fígado. Nos exercícios de Alta Intensidade e de menor duração (20 minutos acima de 70% ) o gasto calórico imediato será proveniente do glicogênio. Todavia, após o exercício de Alta Intensidade o corpo efetuará lipase (quebra de gordura) para repor as energias gastas durante o exercícios e renovar os estoques de glicogênio muscular. Assim, estes estudos apontam uma maior queima de gordura em exercícios intensos e de baixa duração.
  
Pesquisadores desocupados australianos da University of New South Wales (UNSW) descobriram que a prática de exercícios de Alta Intensidade de forma intervalada é ainda mais eficiente para a queima de gordura do que a prática de exercícios moderados por longos períodos. O estudo australiano foi conduzido pelos Professores Steve Boutcher e Gail Trapp.

A pesquisa australiana teve como cobaias mulheres jovens e acima do peso, com média de idade de 20 anos, divididas em 2 grupos. O primeiro grupo praticou 40 minutos de bicicleta em intensidade moderada 3 dias na semana. O segundo grupo praticou 20 minutos de bicicleta em Alta Intensidade (alternando-se um sprint de 8 segundos com 12 segundos de atividade moderada para recuperação) 3 dias por semana. Ao final das 15 semanas do estudo, o grupo que praticou exercício por menos tempo havia perdido uma quantidade de gordura 3 vezes maior.
“We think the reason that it works is because it produces a unique metabolic response” (...) “Intermittent sprinting produces high levels of chemical compounds called catecholamines, which allow more fat to be burned from under the skin and within the exercising muscles. The resulting increase in fat oxidation drives the greater weight loss. said Professor Boutcher.
O professor Steve Boutcher explica que tal método funciona devido à resposta metabolica. Aumenta os níves de uma substância chamada catecolamina. Tal resposta metabólica resulta numa perda de gordura subcutânea e próxima à musculatura trabalhada. As mulheres que se submeteram ao estudo tiveram uma perda de gordura maior nas pernas e glúteos, com ênfase na área das coxas e culote.

Ao apresentar sua pesquisa o professor Steve Boutcher foi categórico ao dizer que acredita que os estudos são aplicáveis a qualquer forma de exercício aeróbico e que todo tipo de exercício é benéfico. Opinião da qual compartilho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário